Páginas

quinta-feira, 27 de janeiro de 2011

Os 10 carros mais importantes lançados entre 2001 e 2010


Uma década de lucro para quem acreditava que o mundo iria acabar

De 2001 a 2010, o número de emplacamentos no Brasil dobrou, passando de 1.506.170 para 3.329.170. Foram 10 anos especiais para a indústria brasileira coroados com o sucesso do Salão do Automóvel de São Paulo em 2010, o qual apresentou a nova tecnologia nos carros versão híbrido. Vamos relembrar esta década com os 10 carros mais importantes lançados entre 2001 e 2010.

Hoje, vamos embarcar para uma viagem ao passado. Iremos para o ano de 2001 e chegaremos até 2010. Há 10 anos, não se falava em redes sociais, muita coisa pode mudar ou surgir em uma década. Com a expansão da conexão 4G em 2011, a tendência é que, em 2015, a conexão 5G já tenha se tornado um padrão. Com isso, as redes poderão ser acessadas em qualquer parte do mundo, sem a preocupação de estar dentro ou não da área de cobertura. Isso se em 2015 o mundo não tiver chegado ao fim.

No ano de 2001 a Fiat liderou o ranking com o novo modelo do Fiat Palio. O carro ganhou neste ano uma nova traseira, dianteira e interior feitos pelo designer italiano Giurgetto Giugiaro. A novidade no compacto da Fiat foi também os novos motores 1,0 Fire de 8V e 55 cv de potência e o 1,0 16V de 70 cv.


A vitória na Copa de 2002 no Japão e na Coréia deu ao Brasil o recorde isolado de conquistas, com isso a seleção se tornou pentacampeã. Apesar da seleção italiana não ter feito bonito no mundial, a montadora da "Bota" teve motivos para comemorar no Brasil. Seu Fiat Stilo- o hatch foi um dos principais lançamentos do ano na terra da seleção canarinho, nas versões 1,8l 8V, 1,8l 16V, de 4 cilindros, e Abarth 2,4 FiveTech de 167 cv.

O primeiro ano de um governo de esquerda no Brasil, em 2003, também foi marcado pela quebra de uma barreira automobilística. A partir de agora jipes não têm de ser importados e caros. O Ford EcoSport chegou para agradar um público que queria um carro com um ar aventureiro mas sem ter de pagar um preço de superesportivo por ele. Sucesso no Brasil desde seu lançamento, o modelo foi feito sobre a plataforma do Fiesta e foi originalmente oferecido em três versões: a de entrada com motor 1,0 Supercharger de 8V e 95 cv, o 1,6 e o topo de linha 2,0 16V Duratec de 143 cv.

A oferta pública do Google no mercado financeiro, em 2004, e um lançamento no mercado automotivo. A Toyota Fielder- versão station wagon do Corolla fez sucesso. Era 8 cm menor que o Corolla no comprimento total, prejudicando o volume do porta-malas. Além disso, só possuía uma opção de motor, a 1,8 16V de 136 cv. O ponto positivo era que o desempenho da perua não ficava atrás da sua versão sedã, mesmo sendo mais pesada. Saiu de linha em 2008 para dar espaço para a produção da nova geração do Corolla.

Entra em vigor o protocolo de Kyoto, no dia 16 de fevereiro de 2005, as preocupações com o meio ambiente aumentam e tomam proporções mundiais. As empresas têm fomentado projetos para diminuir as emissões de gases causadores do efeito estufa. Um modelo que existe desde 1996 ganha versão 100% nacional: o Ford Fiesta Sedan. Com traseira inspirada no Mondeo, o modelo ajudou a Ford a aumentar as vendas em 2005. O Fiesta Sedan vinha equipado com um motor de 1,0 e 1,6 litro.

2006 foi um ano cheio de inovações tecnológicas. Em novembro, mesmo mês que o New Civic chegou às lojas, também foram lançados o Playstation 3 e o Nintendo Wii. Assim como os videogames, o sedã-Honda Civic faz sucesso até hoje, brigando com o Corolla pela liderança no segmento. Foram três versões no mercado sendo a top de linha a EXS 1,8 16V com 140 cv de potência.  Chegou diretamente com o motor flex. Apesar de não ter mudado as vendas da Honda no ano de 2006, fez muito sucesso em 2007.

2007 foi o ano do lançamento mundial do iPhone da Apple. Também foi marcado pelo fim da série Harry Potter, o livro mais vendido da década. Com tantos lançamentos mundiais, o setor automotivo não iria ficar de fora. No Salão de Frankfurt foi apresentado o compacto da Renault para os países emergentes, o Sandero. Estreou no mercado brasileiro em dezembro, se tornando o primeiro carro da marca francesa a ser totalmente montado no Brasil e o primeiro modelo mundial produzido fora da Europa. Foi lançado com três opções de motor: 1,0 16V, 1,6 6V e 1,6 16V.

2008 foi o ano em que Barack Obama foi eleito o primeiro presidente negro da história dos Estados Unidos e que Fidel Castro deixou oficialmente o comando político e das forças armadas cubanas. Foi também o ano de lançamento da quinta geração do carro mais vendido do Brasil até hoje, o Gol da Volkswagen. Lançado originalmente com dois motores (1,0 e 1,6), chegou com um novo desenho e com uma missão que hoje, três anos depois, vemos que foi bem sucedida. Em 2010 o Gol foi o carro mais vendido do Brasil, colocando a Volkswagen na segunda colocação do mercado.


O Vectra ganhou uma terceira geração na Europa em 2008, mas fabricar o modelo no Brasil ficaria muito caro na época. A solução da Chevrolet brasileira foi criar ela mesma sua nova geração para o sedã. O Vectra brasileiro foi criado a partir da plataforma da terceira geração do Astra, que não foi vendida no Brasil e surgiu com motores de 2,0 e 2,4 litros. Hoje, apenas o de 2,0 litros com 140 cv segue em linha.


O ano da eleição da primeira mulher presidente do Brasil foi marcado também pelo carro que talvez seja o que mais simboliza a década. Com um desenho inovador, apostando em quadrados "arredondados" e cores exóticas, o novo Uno rapidamente conquistou o público brasileiro. Só no ano de seu lançamento, foram cinco versões colocadas à venda: desde a de entrada 1,0 até a Sporting 1,4.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário